Notícia
julho 26, 2019

Embora os gigantes do mercado de escritórios já estejam contribuindo significativamente, muitos investidores ainda não estão certos do impacto que o coworking pode ter em suas propriedades. O conceito de espaço flexível tem o potencial de aumentar e diversificar o fluxo de receita de um edifício porque os inquilinos melhoram a ocupação efetiva. No entanto, inquilinos flexíveis nem sempre têm compromissos fortes, portanto, aqueles edifícios com uma alta porcentagem de espaços flexíveis estão mais expostos ao risco do que aqueles onde o espaço flexível é apenas uma pequena parcela.

Tipologia do edifício

Há uma divergência no rendimento da taxa quando as transações são divididas por classe ou tipo de edifício. Com espaços de coworking, os edifícios Classe B e C aumentam seu valor mais do que os de Classe A. E o fato é que as melhorias causadas pelos operadores de coworking ajudam a converter prédios de classificação inferior em ativos de classe A.

Locais próprios para espaços flexíveis

O percentual alocado também afeta o valor de uma propriedade. Os edifícios Classe A com uma menor proporção de espaços de coworking tendem a ter um melhor retorno sobre o investimento do que os ativos Classe B. No entanto, os ativos de Classe B com altas cotas de coworking têm o potencial de melhorar seus valores substanciais.

Por que isso acontece? De acordo com o estudo, as implicações de valor na propriedade com muitos metros quadrados atribuídos ao coworking poderiam "assustar" os investidores, já que eles poderiam associá-los a um risco maior.

Porém, para que essas ações tenham êxito, é necessário conhecer o mercado, entender o relacionamento com o seu inquilino atual e seu as necessidades do inquilino desejado, colaborar com empresas flexíveis de qualidade que estejam alinhadas com o posicionamento do ativo e explorar a possibilidade de cooperar com terceiros, afinal, a busca por um acordo de cooperação proporcionará ao proprietário uma pequena injeção de capital, cancelando parte do risco ligado ao setor.


Artigo desenvolvido a partir do estudo "As implicações de valor da propriedade com espaço flexíveis", feito pela CBRE USA.