Especial Centros Financeiros de São Paulo: Centro

Avenida São João Centro São Paulo CBRE

A CBRE começa hoje uma série de quatro artigos sobre os centros financeiros de São Paulo. Para abertura deste resgate histórico escolhemos o Centro, o primeiro pólo de investimentos da capital.

O Centro de São Paulo foi a primeira região a abrigar o pólo financeiro da cidade, ainda na década de 1960.  O desenvolvimento ganhou impulso na década de 1970, com o surgimento de diversos empreendimentos comerciais.

As edificações foram projetadas para abrigar empresas nacionais e algumas multinacionais que começavam a chegar no país.  Neste período alguns edifícios, como a sede das Indústrias Reunidas Matarazzo (IRM), também conhecido como “Banespinha” e Palácio Anhangabaú, marcaram época.

Edifício Matarazzo Centro CBRE

Com 14 andares e 27.800 m² de área construída, o prédio é atualmente a sede da Prefeitura Municipal de SP. Inaugurado em 1939, teve seu projeto realizado pelo arquiteto Marcelo Piacentini, italiano que fez largo uso do mármore na fachada de linhas austeras.

Outro marco da arquietura do Centro é o Edifício Martinelli, considerado o primeiro arranha-céu da américa latina. Com projeto do arquiteto húngaro William Fillinger, teve sua inauguração realizada em 1929, embora as obras só terminassem em 1929. Após um período de degradação, o prédio foi desapropriado pela Prefeitura em 1975 e reinaugurado em 1979.

Seus 30 andares hoje são utilizados por diversos órgãos públicos, como as Secretarias Municipais de Habitação e Planejamento, as empresas Emurb e Cohab-SP, além da sede do Sindicato dos Bancários de SP e de diversos estabelecimentos comerciais na parte térrea do edifício.

Apesar de sua historicidade e de ter abrigado grandes empreendimentos, ao longo dos anos o Centro naturalmente perdeu o posto de pólo financeiro para a famosa Avenida Paulista, tema do próximo artigo.

Fotos: Werner Haberkorn

Share:

1 comment

Deixar uma resposta