Escritórios

Escritórios: incremento nos aluguéis, revisões em alta

É indubitável que hoje o mercado de Real Estate brasileiro está mais maduro que há cinco ou dez anos. Alguns dos fatores que demonstram isso são o crescimento econômico, o aumento da demanda por espaços, a facilidade de crédito e a queda da taxa de juros.

“Surfando” nesta onda de “senioridade” do mercado brasileiro, estão os investidores mais atentos, que conseguiram aproveitar a queda acentuada da vacância, ocorrida mais fortemente nos últimos cinco anos, acompanhado da crescente valorização do preço dos imóveis. Em São Paulo, por exemplo, a Vacância no mercado de escritórios saiu de 17% em 2004 (recorde histórico), indo para 9,2% em 2007, atingindo em 2011 o patamar de 3,5%, o menor nível histórico da cidade.

Mesmo não sendo a “praia” de muitos desses investidores (não somente pessoas físicas, mas também fundos de investimento imobiliário e investidores estrangeiros), eles firmaram bons contratos de locação e, para os contratos já existentes, conseguiram formidáveis incrementos em seus aluguéis (algo como 30 e 40% acima da inflação, com alguns casos chegando a 80-100%), através da revisão trianual do aluguel.

Estas readequações de aluguel encontraram terreno fértil em 2010, se desenvolvendo fortemente nos anos de 2011 e 2012. No Rio de Janeiro, por exemplo, um edifício que em 2009 foi locado a R$100/m², em 2012 atingiu o patamar de R$ 180/m². Uma valorização 45% acima da inflação.

E desta mesma “praia” ainda se vê a “crista da onda”, onde os investidores mais atentos deverão “surfar”.

Share:

Deixar uma resposta